Skip to content

Médica especialista em uveíte do BOS alerta sobre o perigo desta doença, em especial para gestantes

  • Doença pode levar à baixa de visão importante em recém-nascidos e, em alguns casos, pode causar aborto; principal causa da uveíte é a toxoplasmose, que tem altos índices de diagnóstico no Brasil

 

A adoção de hábitos alimentares mais saudáveis pelos brasileiros, em especial nos últimos 20 anos, com o consumo de legumes e vegetais crus, por exemplo, teve um impacto significativo no número de casos de toxoplasmose relatados no país. 

Como consequência, houve um aumento no número de casos de uveíte, uma inflamação ocular que pode ocorrer em qualquer fase da vida e que pode levar a alguns sintomas inespecíficos como vermelhidão, dor e sensibilidade à luz. 

“Muitas vezes o paciente procura um oftalmologista reclamando não somente desses sintomas, mas também de manchinhas no olho e “moscas volantes” (manchas escuras que aparecem no campo de visão e que podem assumir diferentes formas), o que pode configurar um quadro de uveíte”, explica a Dra. Vivian Cristina Costa Afonso, especialista em uveíte e responsável pelo ambulatório de uveíte do SUS no Hospital Oftalmológico de Sorocaba (BOS).

A médica esclarece que, no Brasil, a principal causa de uveíte é a toxoplasmose e que, por ser uma doença de períodos de melhora e piora, se não for tratada, pode levar à baixa de visão importante. 

“A causa mais frequente de uveíte que observamos no ambulatório, tanto de convênio particular quanto no SUS, ainda é a toxoplasmose. Porém, além do aumento de casos de toxoplasmose observado nos últimos anos, tivemos um aumento tão importante e significativo de outras doenças, como por exemplo a sífilis, que também pode acometer o olho e levar à baixa de visão importante”, afirma a Dra. Vivian.

Gestantes devem ter um cuidado redobrado com essa doença, explica a médica especialista, justamente por se tratar de pacientes imunodeprimidas (que estão com o sistema de defesa do organismo enfraquecido) durante a gestação e, por isso, ingerir água ou alimentos contaminados pela toxoplasmose durante esse período pode levar ao diagnóstico de uveíte, que pode ser transmitida ao bebê e acometer a área central da visão. Nestas situações, o bebê pode nascer com cicatrizes, com lesões na área central da visão, o que leva à baixa da visão. 

“Se a contaminação ocorrer durante o primeiro trimestre da gestação, muitas vezes a gestante pode sofrer um aborto. Nas fases mais tardias da gestação, o bebê pode nascer com microcefalia, com alterações oftalmológicas e pode ter uma cicatriz macular congênita, que faz com que ele perca a visão central e tenha baixa de acuidade visual.

Pode acometer um olho ou os dois, daí a importância de não contrair a toxoplasmose durante a gestação, pois é muito perigoso para o feto, ele pode nascer com má formação”, esclarece a Dra. Vivian. 

O BOS oferece um atendimento multidisciplinar à gestante que, além do oftalmologista, será acompanhada por obstetra e pediatra. “Se a gestante tiver qualquer sinal de toxoplasmose, ela pode procurar o Hospital Oftalmológico de Sorocaba, que é aberto 24 horas todos os dias, onde ela será tratada e acompanhada”, explica a médica.

“A toxoplasmose é realmente uma doença muito comum no nosso meio e tivemos alguns anos atrás alguns surtos da doença no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e em São Paulo, na região Sul em geral. Então, precisamos ficar atentos, em especial por ser uma doença da qual não se fala muito”, finaliza a Dra. Vivian. 

 

QUADROS

Como se transmite a toxoplasmose?

A toxoplasmose se transmite principalmente pela ingestão de água contaminada. Esse ainda é o principal meio de contágio da doença atualmente. Mas pode ocorrer o contágio através da comida, com a ingestão de vegetais mal higienizados, carne contaminada, como coração de galinha, carne de carneiro e cordeiro, que devem ser bem cozidos ou pré-congelados. Por isso, é importante sempre beber água filtrada ou água mineral, lavar muito bem os alimentos antes de consumí-los, verificar a procedência da carne e alguns alimentos e, se possível, evitá-los. 

 

Como prevenir a toxoplasmose?

– Consumir apenas carnes bem cozidas; 

– Lavar bem frutas e legumes; 

– De preferência, congelar carnes por 3 dias a 15 graus negativos; 

– Lavar as mãos regularmente, sobretudo depois de manipular alimentos e antes das refeições; 

– Evitar contato com areia de gato, lavar bem as mãos após esse procedimento, sendo que a gestante não deve ter contato com areia de gato; 

– Manter o gato bem alimentado e sem acesso à rua para ele não sair caçar e não se contaminar pela toxoplasmose; 

– Tomar cuidado e evitar acariciar cães que andem soltos pela rua; 

– Ter controle de ratos e insetos e sempre lavar bem as mãos e as unhas após trabalhar com terra, horta ou jardim. 

 

PRINCIPAIS SINTOMAS DA TOXOPLASMOSE NAS GESTANTES E NOS BEBÊS

Nas Gestantes: 

– Vermelhidão no olho; 

– Baixa de visão;

– Desconforto visual;

– Febre; 

– Gânglios aumentados;

– Aumento de fígado e de baço

 

Nos bebês:

– Alteração ocular; 

– Hidrocefalia; 

– Microcefalia; 

– Retardo mental; 

– Convulsão; 

– Problemas no fígado

O Banco de Olhos de Sorocaba (BOS) e o Hospital Oftalmológico de Sorocaba (HOS) ficam localizados na Rua Nabek Shiroma, 210, no Jardim Emília. Mais informações podem ser obtidas pelo site: www.bos.org.br ou pelo telefone: (15) 3212-7000.

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.