Skip to content

Entenda como uso excessivo de telas pode prejudicar a visão

 

Dra. Lindalva de Morais, médica oftalmologista do BOS, explica que a exposição prolongada pode causar problemas oculares.

 

A tecnologia faz parte do dia a dia, está presente em praticamente todos os lares. Hoje em dia, a maioria das pessoas têm acesso à um dispositivo eletrônico. De acordo com dados da ANATEL, atualmente no Brasil, existem cerca de 258,3 milhões de celulares.

 

Com essa facilidade, aliada à internet, as telas se tornam muito atrativas e acabam se tornando parte da rotina das pessoas. Mas, o que poderia ser uma ferramenta de trabalho, um objeto de diversão, pode acabar sendo um problema. O uso excessivo de telas pode ser muito prejudicial para visão.

 

Dra. Lindalva de Morais, médica oftalmologista do Banco de Olhos de Sorocaba (BOS), explica o motivo da preocupação com esse uso desenfreado dos eletrônicos. “Atualmente, estamos sempre olhando para uma tela, em ambiente fechado e por vezes, com ar-condicionado, fatores que podem prejudicar nossa saúde. Durante a pandemia, devido ao home office e as aulas online, observamos muitos pacientes sintomáticos. Quando olhamos para longas distâncias nossos olhos estão relaxados, mas, para atividades de perto, como ler um livro ou usar celular, computador, nossos olhos trabalham mais, convergindo e acomodando, como se fosse um “zoom” para conseguir boa visão para perto. Essa atividade de perto prolongada traz desconforto, embaçamento visual, entre outros sintomas.”, explica a médica.

 

De acordo com a especialista, uma pessoa pisca em média 15 vezes por minuto e esse número é reduzido em usuários de telas, levando a sintomas de olho seco. Já os usuários de computador que utilizam telas grandes, conseguem manter uma abertura palpebral maior, aumentando com isso a exposição da superfície ocular, o que resulta em maior evaporação da lágrima, causando sintomas de olho seco.

 

Existe uma preocupação em relação a saúde ocular das gerações mais novas, que já nascem muito mais tecnológicos. “Sabemos que crianças e jovens estão desenvolvendo miopia, que é a dificuldade para ver de longe, mais precocemente que as gerações anteriores. Estima-se que até o ano de 2050, 50% da população mundial será míope.  Muitos países já incluem parte do período de aulas em ambientes externos, na tentativa de minimizar o problema. Além disso existe uma associação entre excesso de exposição a telas na primeira infância e atraso no desenvolvimento cognitivo na linguagem, alterações sociais e de sono.”, comenta Dra. Lindalva.

 

Para evitar esses problemas nas crianças, Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica recomenda:

– Evitar a exposição de crianças menores de 2 anos às telas;

– Crianças com idades entre 2 e 5 anos: limitar o tempo de telas ao máximo de 1 hora/dia, com supervisão;

– Crianças com idades entre 6 e 10 anos: limitar o tempo de telas ao máximo de 2 horas/dia, com supervisão;

– Adolescentes com idades entre 11 e 18 anos, limitar o tempo de telas e jogos de videogames a 2-3 horas/dia.

 

Para quem passa muito tempo frente as telas, a médica alerta para os sintomas: “Os sinais mais comuns de você está passando muito tempo em frente as telas: olhos secos e vermelhos, coceiras nos olhos, embaçamento visual, fadiga, dor de cabeça, dores musculares, dificuldade de concentração.”, diz.

 

A tecnologia faz parte da vida e é preciso saber equilibrar seu uso, por isso, Dra. Lindalva deixa algumas dicas: “Faça uma consulta oftalmológica para saber se tem necessidade de usar óculos; converse sobre seu estilo de vida com o oftalmologista para que ele possa orientá-lo adequadamente quanto ao tempo de uso de telas, necessidade de usar colírios para lubrificação ocular, iluminação do ambiente de trabalho, postura, pois a ergonomia é muito importante. Lembre-se de piscar sempre, adequar o brilho e o contraste da tela; reduzir o reflexo utilizando protetor de tela fosco; fazer intervalos para relaxar a musculatura dos olhos, olhando para longe por 20 segundos a cada 20 minutos; manter uma distância adequada da tela; conservar a tela limpa pois manchas e poeira atrapalham a visão.”, finaliza ela.

 

É preciso estar sempre atento aos sinais que seu corpo dá, mantenha seus exames sempre em dia e, em qualquer alteração, procure ajuda de um profissional capacitado.

 

O Banco de Olhos de Sorocaba (BOS) e o Hospital Oftalmológico de Sorocaba (HOS) ficam localizados na Rua Nabek Shiroma, 210, no Jardim Emília. Mais informações, acesse: www.bos.org.br ou ligue para o telefone: (15) 3212-7000.

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.